Variabilidade genética e uso dos frutos de pequi (caryocar coriaceum WITTM) na região Meio Norte do Brasil

DSpace/Manakin Repository

Mostrar registro simples

dc.contributor.author RAMOS, Klégea Maria Câncio
dc.contributor.other Orientador, Ph. D. Valdomiro Aurélio Barbosa de Souza
dc.date.accessioned 2015-04-07T09:45:14Z
dc.date.available 2015-04-07T09:45:14Z
dc.date.issued 2010
dc.identifier.uri http://acervodigital.mds.gov.br/xmlui/handle/123456789/547
dc.description Por questões de direitos autorais o Download deste material deve se feito pelo Link a seguir: http://www.ufpi.br/subsiteFiles/mestambiente/arquivos/files/Dissertacao%20klegea%20versao%20publicacao.pdf O PBF é parte do perfil do público estudado Pesquisa de campo / estudo de caso en_US
dc.description.abstract O pequizeiro (Caryocar coriaceum Wittm.) é uma espécie frutífera nativa do cerrado do Nordeste brasileiro, apresentando múltiplas formas de utilização pelo homem, como na fabricação de remédios, cosméticos, licores e sabão, dentre outras. No Nordeste, a espécie ocorre nos estados do Maranhão, Piauí e Ceará. O presente trabalho teve como objetivos: (1) realizar a caracterização física e químico-nutricional da polpa e da amêndoa do pequi; (2) realizar estudo de divergência genética entre populações de pequizeiro de ocorrência natural nos estados do Maranhão e Piauí; e (3) caracterizar o perfil social e econômico e verificar a importância da venda do pequi na renda das famílias rurais nas áreas de ocorrência da espécie. Estudaram-se três populações de ocorrência natural no Maranhão (Timon, Caxias e Afonso Cunha) e três no Piauí (Alto Longá, Barras e José de Freitas), em um total de 36 plantas estudadas, sendo avaliada uma média de 15 frutos/planta. A população de Alto Longá, no Piauí, foi a que apresentou as maiores médias de massa média do fruto, de casca e de amêndoa, enquanto que as populações de Afonso Cunha, no Maranhão, e de Barras, no Piauí, apresentaram as maiores médias de proteína bruta. Já a população de Timon, no Maranhão, mostrou o maior teor de fibra bruta. A população de Alto Longá apresentou a maior média de proteína bruta na amêndoa. As populações de pequizeiros de ocorrência no Piauí mostraram-se mais heterogêneas que as do Maranhão, com significativa divergência entre as populações, a qual pode ser utilizada em futuros trabalhos de melhoramento da espécie. Quanto a sócioeconomia do pequi, constatou-se que o dinheiro arrecadado com a venda do pequi é significativa para as famílias que vivem nas comunidades rurais, pois a maioria das famílias rurais estudadas depende do Programa Federal Bolsa Família; logo o ganho com a venda dos frutos e produtos de pequi é de grande importância. en_US
dc.description.sponsorship Dissertação apresentada ao Programa Regional de Pós Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Federal do Piauí (PRODEMA/UFPI/TROPEN), como requisito à obtenção do título de Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Área de Concentração: Desenvolvimento do Trópico Ecotonal do Nordeste. Linha de Pesquisa: Biodiversidade e Utilização Sustentável dos Recursos Naturais. en_US
dc.language.iso pt en_US
dc.publisher Universidade Federal do Piauí en_US
dc.relation.ispartofseries Dissertação - Mestrado Acadêmico;
dc.subject Cerrado; Estrutura genética; Fruteira nativa; Pequizeiro; Desenvolvimento sustentável. en_US
dc.title Variabilidade genética e uso dos frutos de pequi (caryocar coriaceum WITTM) na região Meio Norte do Brasil en_US
dc.type Thesis en_US


Arquivos deste item

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Pesquisar


Busca avançada

Navegar

Minha conta